Contactos

Marcos Antonio Consultor em transações imobiliárias.

  • Pessoa de contato: MARCOS ANTONIO
  • Telefone: +55 (81) 8644-48-09
  • +55 (81) 9730-49-12
  • MSN: marcoscarneiroimoveis8105@gmail.com
  • Endereço postal: Avenida conselheiro águia 2286, Recife, Pernambuco, 51020020, Brasil

Renovações do site

Siglas em Curso de avaliação de imóvel

Siglas em Curso de avaliação de imóvel

14/12/12

2.2.3 Valores e custos

Vg – valor genérico unitário (por m²) do terreno para o trecho de logradouro ou de
Vtt – valor do terreno total Vtu – valor do domínio pleno do terreno da União Vdu – valor do domínio útil do terreno da União área rural

Vo – valor genérico da faixa retangular com 1 (um) metro de frente e
profundidade padrão no trecho do logradouro

Vb – valor das benfeitorias

Vbp – valor da benfeitoria proporcional à relação entre a área do terreno da União
e do terreno total

Vti – valor total do imóvel

Vip – valor proporcional do imóvel para fins de laudêmio Vir – valor de referência do imóvel para cálculo do laudêmio

Vr – valor residual Vl – valor locativo

Vui – valor unitário inicial (por m² ou por ha) Vuh – valor unitário homogeneizado Vd – valor declarado Vad – valor adotado Pa – percentagem de aproveitamento para lotear glebas urbanizáveis

Pgv – produto geral de vendas Mgd – montante global das despesas

Li – lucro do incorporador
Rlo – receita líquida operacional
Rlt – receita líquida total
Cr – custo de reprodução
Dp – despesas em percentagem do Pgv Lp – lucro percentual em relação ao Pgv Rlef – receita líquida efetiva Cub – Custo Unitário Básico de construção por m²

ANEXO – ON-GEADE-004 PÁGINA 21
Yi – índice de valor do trecho de logradouro do imóvel pesquisado Ylp – índice de valor do trecho de logradouro do lote padrão

r – coeficiente de proporcionalidade (Atu / Att)
i – taxa de juros (por período ou mensal)
f – taxa de inflação (por período ou mensal)
2.2.4 Coeficientes e taxas Kp – coeficiente do valor pleno Kcf – coeficiente de vantagem da coisa feita Kr – coeficiente do valor residual

Kv – coeficiente de vacância fi – fração ideal em condomínios horizontais ou verticais

n – número de elementos da amostra
xi – elemento da amostra
x – média aritmética
s – desvio-padrão da amostra
s – desvio-padrão da população
t – abscissa da distribuição de Student
2.2.5 Estatística Ls – limite superior de aceitação Li – limite inferior de aceitação

2.2.6 Fatores de homogeneização e correção

Fat – fator de acidentação topográfica Fp – fator de profundidade

Ft – fator de frente ou de testada Ftm – fator de frentes ou de testadas múltiplas

Ftr – fator de transposição de local Frl – fator de restrição legal Fpd – fator de pedologia Fd – fator de depreciação física e funcional ou de idade Flj – fator de loja ou de valorização comercial Fpj – fator de projeto

ANEXO – ON-GEADE-004 PÁGINA 2
Fac – fator de acabamento Fa – fator de atualização monetária Ff – fator de fonte Fh – fator de homogeneização ou corretivo total

Fc – fator de condomínio Ftc – fator devido ao tipo de construção

Fx – fator genérico a ser usado conforme a necessidade Fk – fator de comercialização

3 NÍVEIS DE RIGOR DA AVALIAÇÃO

Os níveis de rigor da avaliação, segundo as prescrições da NBR 5676/89, da Associação

Brasileira de Normas Técnicas-ABNT, estão condicionados à quantidade e à confiabilidade, bem como ao tratamento dos dados pesquisados.

A NBR 5676/89 refere-se a imóveis urbanos; a NBR 8799, a imóveis rurais e a NBR 8951, a glebas urbanizáveis, todas com idêntica classificação:

a) expedito; b) normal e c) rigoroso.

As prescrições relativas aos vários níveis de rigor da NBR 5676/89 são transcritas a seguir:

Fonte: Manual de Avaliação de Imóveis Urbana